top of page

Conheca Magda

Psicóloga clínica

Quem sou?

    Desde criança eu já sabia o que eu queria ser psicóloga, digo isso por ter nascido num lar de educadores. Meu pai foi um professor formado em pedagogia e filosofia, já aplicava seus sábios conhecimentos de Hipnose, durante toda sua curta vida. Eu ficava encantada com sua demonstração, ora lúdica ora em clínica. Certa vez, após observar os efeitos de uma sessão através da janela da salinha onde ele fazia os atendimentos, lhe perguntei o que ele fazia? Me lembro até hoje, com o semblante sereno dele me disse que era uma técnica usada para promover a felicidade nas pessoas. Conclui, naquele dia que ele era um ‘Fazedor de Felicidades”, e foi nesse momento, que decidi o que eu iria ser! Mas, a contribuição da minha mãe também foi fundamental para ratificar minha profissão. Ela foi professora incrível que aplicava alguns conceitos de Willian James considerado hoje como o Pai da Neurociências, além de vários ensinamentos da psicologia positiva. Aprendi com ela entre tantas coisas maravilhosas que só posso sentir uma imensa gratidão pelo meus pais.

    Eu me formei em Psicologia no final de 1980, me especializei em Psicanálise e Ludoterapia (atendimento infantil), fui supervisionada pelo querido Dr Manoel Munhoz, iniciando minha pratica clínica e frequentando diversos cursos nos Sedes Sapientes. Em 1985 fui convidada por um supervisor em psicanálise para participar de Estudos em Psicossomática. Eu me apaixonei! Me formei sob a supervisão do inesquecível Dr Carlos Laganá em Medicina Psicossomática. No final dos anos 80, por necessidade, fui trabalhar no Colégio Meninópolis, como orientadora educacional e fui fazer Pedagogia e acabei me especializando em Metodologia Cientifica. Segui minha carreira como Pedagoga e Psicoterapeuta por anos, meu consultório ficava ao lado do Colégio e durante anos permaneci em jornada dupla. Foi muito edificante e promissor para minha vida profissional. Aprendi muito, e sou muito grata a Deus, por todas as oportunidades que me foram dadas!

    A Hipnose nessa época ainda não era reconhecida como prática da Psicologia, mas eu já era ou sempre fui, uma entusiasta nessa ferramenta. Segui meus passos como uma psicoterapeuta até que que conheci, a mestre Dra Sofia Bauer, e comecei a traçar os passos como uma Hipnoterapeuta nos anos 90. Não só me formei em Hipnoterapia Ericksoniana, como comecei a coordenar grupos de formação em Hipnose, fazendo aperfeiçoamentos na técnica. Me associei a Sociedade de Hipnose de São Paulo, onde fui diretora por vários anos na gestão de imortal Dr Joel Priori. E posteriormente, fui diretora científica da Sociedade Brasileira até os dias atuais.

    Em 1998, conheci a técnica EMDR (Dessensibilização Através dos Movimentos Oculares), confesso que foi amor á primeira vista. Meu treinamento aconteceu no mesmo ano, com maestrina pela Dra Graciela Rodrigues, a qual sou muito grata. Foi tão apaixonante que ao terminar minha formação, resolvi trazer para São Paulo, os treinamentos. Formei uma verdadeira frente a sua divulgação. Montei o Instituto Brasileiro de EMDR com ajuda de amigas psicólogas queridas. Foram anos de trabalho para ajudar muitas pessoas a superarem os Traumas. Com o passar dos anos, foram realizados dezenas de treinamentos e com isso, fui me solidificando minha prática clínica em EMDR. Participando em diversos congressos, workshops e cursos como palestrante e como Professora convidada em vários cursos de Especialização em diversas Universidades. E foi durante uma apresentação ao vivo, que fui indagada sobre se eu tinha doutorado? Confesso que fui pega de surpresa, mas ao ouvir do meu filho, porque que eu não fazia, me senti mais desafiada e iniciei mais uma caminhada acadêmica. Estou no finalzinho dessa incansável jornada do Doutorado, o qual ingressei em 2016. Resolvi investigar sobre sonhos e pesadelos, numa pesquisa desafiante, colocando frente a frente, minhas duas prediletas ferramentas a prova. EMDR e Hipnose! O resultado logo mais será publicado.

    Antes de terminar essa apresentação, não poderia deixar de mencionar, que de todos os aprendizados da minha vida, o maior foi o de ser mãe de John e Paula, os quais sinto orgulho por todos esses anos de tentativas de acertos e erros, pois afinal, é uma faculdade constante em nossa vida, onde além de transmitir os conhecimentos herdados de meus pais, aprendi e aprendo até hoje com eles. E espero ainda continuar essa Universidade agora como Avó.

Abraços carinhosos,

Magda Pearson

 

“O passarinho não canta porque está feliz, mas está feliz porque canta.”

(Willian James)

006.jpeg
bottom of page